quarta-feira, 23 de abril de 2014

A obscura produção do filme do Super Mario Bros (1993)





cinema







    

O obscura produção do filme do Super Mario Bros (1993)
Super Mario Bros – O filme lançou-se as telas dos cinemas americanos em Maio de 1993, e tinha tudo para ser uma mina de ouro!
Depois de uma turbulenta produção que começou com uma negociação de direitos de execução 2 anos antes, o filme chegou as telas como um total fracasso. Um filme que foi investido mais de 50 milhões e acabou que não teve nem 21 milhões de retorno.
O motivo desse fracasso – Além do obvio, que o filme não é muito bom – pode ser considerado também por uma série de fatores que não são de amplo conhecimento público. Mas o que pôde dar tão errado? Porque um filme tão bizarro e diferente dos games? 
Antes de tudo, se você não conhece o filme, nunca assistiu, veja o trailler dele AQUI.
A NEGOCIAÇÃO
Em 1990, um Diretor chamado Roland Joffé sugeriu a sua produtora, a Ligtmotive um filme sobre Super Mario bros. Era início da década de 90, o mercado da Nintendo  atendia o mercado com mais de 62 milhões de Nintendos, e os filmes mais lucrativos da época eram títulos como Tartarugas Ninja, Esqueceram de mim e Querida Encolhi as Crianças. A ideia foi bem aceita, pois o mercado de games era considerado uma mina de ouro não explorada.
Roland conheceu pouco depois o presidente da Nintendo da América, Minoru Arakawa, e o apresentou o Script inicial do filme. Um mês depois estava em Kyoto, tentando conseguir uma reunião com o presidente da Nintendo, Hiroshi Yamauchi. Ele precisou de 10 dias para ser chamado para um encontro,  e foi sabatinado de porque a Nintendo deveria entregar os direitos do filme nas mãos de um estúdio pequeno. Sua resposta foi“Para ter maior controle sobre o filme!”. Na época vários estúdios competiam para tentar conseguir os direitos do jogo, mas o argumento de Roland colou e ele saiu de Kyoto com um contrato de 2 milhões de dólares na mão que cedia os direitos de uso da Franquia temporariamente. A ideia vendida é que o filme seria uma espécie de Prefácio para a história do Jogo original.
Apesar de ser um diretor com algum nome, tendo sido nomeado em alguns prêmios, Joffé em nenhum momento havia pensado em dirigir o filme, ele queria apenas produzi-lo e lucrar com ele, sem ter que assumir o pesado fardo que um diretor de Hollywood carrega. Foi cotado para diretor Harold Hamis, que era fã de Super Mario mas declinou o trabalho. Depois de já ter alguns roteiros na mão, e com dificuldade em encontrar diretores, acabaram fechando com o Casal Rocky Morton e Annabel Jankel, criadores do sucesso bastante conhecido nos EUA, Max Headroom.
O obscura produção do filme do Super Mario Bros (1993)
O casal de diretores que assumiu o desafio, no set de filmagem em 1992…
A ESCOLHA DO ELENCO
Para o papel de Mario inicialmente foi cotado Dustin Hoffman (Rain  Man), que também era muito fã do jogo, que disse que faria para agradar os filhos. Mas os diretores da Nintendo America não gostaram. Eles queriam Danny DeVito (Pinguim, em Batman do Tim Burton), que acabou negando o papel para se concentrar em outros projetos. Finalmente, escolheram Tom Hanks (Náufrago), que toparia fazer o filme por 5 Milhões. Mas no fim das contas, ficaram com Bob Hoskins (Uma cilada para Roger Rabbit), que supostamente seria um ator mais Lucrativo (cobraria menor cachê). Para o papel do Rei Koopa, Arnold Shwarzenegger foi cotado, assim como Michael Keaton, mas fecharam com Dennis Hopper (Bonanza). John Leguizamo (O Peste) ficou com o papel de Luigi sem muito questionamento, assim como Samantha Mathis como Deisy.
O obscura produção do filme do Super Mario Bros (1993)
Tudo parecia que daria certo…
OS ROTEIROS
Com o contrato na mão, Elenco ainda sendo decidido, e diretores ainda não definidos, a equipe de produção começou a garimpar roteiros de diversos Escritores de Hollywood. Eles queriam uma história que retratasse o mundo de Super Mario Bros de uma maneira que tivesse apelo ao público. O resultado disso foi que pelo menos 7 roteiros foram escritos para tentar atender essa exigências. Ordenei eles aqui por ordem cronológica, e você poderá Baixá-los e lê-los na íntegra! Só que estão em ingles (claro!):
Roteiro Original de Fantasia
Escritores: Jim Jennewein and Tom S. Parker
Data de Revisão: 17 de Julho de 1991
Download: 114 Páginas
Esse roteiro era a visão original de como se faria um filme numa adaptação mais fiel do jogo, onde Mario e Luigi tentam resgatar a princesa do malvado Rei Koopa num mundo doido que lembra o Mágico de Oz ou Alice no País das Maravilhas. O conceito original dos personagens seria mantido no filme original, onde Mario seria um Herói Relutante, e Luigi o sonhador que ficava com a mocinha. Eles teriam que deixar suas diferenças de lado para se tornarem verdadeiros irmãos.Na falta de um diretor, o estúdio se viu obrigado a deixar de lado essa ideia para abraçar o conceito de história do casal de diretores Morton e Jankel, de um mundo mais obscuro.
Roteiro de Transação Sci/Fi – Fantasia
Escritores: Parker Bennett and Terry Runté
Revisão: 28 de Outubro de 1991
Download: 9 Páginas
Nesse Script começa a migração do roteiro de fantasia para o mundo mais Sci-Fi do casal de diretores. Eles achavam que a história não era atraente desde o início, então expandiram o roteiro tornando Koopa uma ameaça global e aumentando o papel da “princesa” Daisy. Esse roteiro insere o conceito de profecia em que os irmãos seriam escolhidos para salvar o planeta.
Rascunho Sci-Fi/Comédia
Escritores: Parker Bennett and Terry Runté
Revisão: 19 de Fevereiro de 1992
Download: 114 Páginas
Esse Script foi aproveitado a sessão inicial do filme, que foi escrito e pensado já com Bob Hoskins como ator. Ele toma seu tempo mostrando os personagens e fazendo o público gostar deles, tornando-os mais amigáveis. Isso acabou funcionando, já que no começo do filme a relação dos irmãos e o jeito deles realmente prende o público. Nesse script o mundo era simplesmente surreal, uma Manhattan cheia de Dinos, sem muita explicação e cheia de referências ao Jogo. No entanto o final não agradou por ser anti-climático. Com o estúdio pressionando para lançar o filme os escritores acabaram nunca revisando o final desse Script, que poderia ter sido um filme melhor do que foi lançado.
O obscura produção do filme do Super Mario Bros (1993)
Daqui pra frente o conceito do filme começaria a ficar mais sombrio…
Rascunho Sci-Fi/Ação
Escritores: Dick Clement and Ian la Frenais
Revisão: 3 de Março de 1992
Download: 118 Páginas
Nesse ponto o “pitaco” dos diretores já se fazia muito presente. Esses roteiristas foram chamados justamente para tentar aproximar a visão do filme com a dos diretores. Foi uma espécie de fusão do mundo sensível/comédia dos escritores anteriores com uma pegada mais adulta e madura. O script trazia mais sequências de ação. Foi removida maior parte dos momentos cômicos do roteiro anterior, e teve rabiscos e anotações do casal de diretores durante sua produção.
Rascunho Sci-Fi/Ação
Escritores: Dick Clement and Ian la Frenais
Revisão: 25 de Março de 1992
Download: 112 Páginas
Ainda mais maduro, e cheio de ação, esse roteiro trazia a aventura num mundo paralelo com dinossauros humanóides. Ainda menos humorístico que a ideia original, trazia até mesmo sátiras políticas. Esse roteiro ganhou o apelido de “roteiro Mad Max” por ter a mesma temática distópica. Esse roteiro foi descartado pela produtora que preferia algo menos politizado e mais leve.
Estilo “Disney”, rascunho Sci-Fi/Romance
Writers: Ed Solomon and Ryan Rowe
Revisão: 17 de April – 13 de July 1992
Download: 112 Páginas
Depois do roteiro anterior, a Lightmotive contratou novos roteiristas para “remendar” o script e torná-lo mais leve e atraente pro público familiar. A produção já havia começado, e o relógio estava ficando apertado. Os escritores trabalharam sem o apoio ou opiniões do casal de Diretores. Isso causou tensão entre a produtora e os diretores, que não gostaram nem um pouco. Muita cenas foram re-escritas para ter um custo menor de produção, inclusive uma cena em que Koopa vira um Tiranossauro. Outra adição foi a cena de casamento inserida no final, e que Mario também se casaria com sua namorada Daniella. Essas cenas foram gravadas, mas acabaram sendo cortadas na sala de edição.
“Arco-Iris” – Rascunho Sci-Fi/Ação
Escritores: Ed Solomon, Parker Bennett and Terry Runté
Revisão: 17 de Abril 1992
Download: 118 Páginas
O script arco-iris, como ficou conhecido, foi batizado assim graças a umnúmero absurdo de Post-it’s e marca-textos coloridos usados para clarificar o que seria de fato filmado. Os escritores originais do roteiro, Bennett e Runté foram recontratados. Trabalhando dessa vez juntos ao diretor, queriam tornar o filme ainda mais leve e familiar contra o gosto dos diretores.
A PRODUÇÃO
Com tantas mudanças de Script, os atores já estavam incomodados. A produção já começara, e o tempo todo eles tinham que reler scripts, repensar a atuação, e reimaginar o contexto que atuariam. Fora isso, o casal de diretores começara a mostrar algum amargamento com a produtora Lightmotive, e deixavam claro para toda a equipe sua insatisfação durante os Sets.
Alguns profissionais que aturam no filme, descreviam os casal de diretores como“Obcecados por controle” e que “criavam um clima desagradável” no set de produção. Conforme mais e mais páginas de script eram escritas, canceladas, e revistas, os atores começaram a deixar de ler pilhas e pilhas de falas e papéiscomo uma forma de protesto.
O pior culminou quando os atores Bob Hoskins (Mario) e John Leguizamo (Luigi)começaram a beber no Set entre uma tomada e outra. Passaram a gravar cenas bêbados. Um dos incidentes foi tão grave que John, totalmente bêbado, bateu um caminhão e no acidente acabou  quebrando a mão de Bob Hoskins. Quando um dos diretores da Lightmotive chegou pra investigar o caso, os atores já não faziam nenhum esforço para manter o sorriso no rosto, e descarregaram suas frustrações com o casal de diretores.
O obscura produção do filme do Super Mario Bros (1993)
Os Atores Hoskins e Leguizamo (Mario e Luigi) Viviam bebaços nos sets de filmagem
Para piorar, na pós produção, a relação dos diretores com o estúdio estava tãodesgastada, que eles praticamente “Expulsaram” o casal das salas de edição do filme, terminando-o da maneira que puderam, já que desde o início Morton e Jenkel pareciam ter uma visão totalmente diferente do que era Super Mario.
O LANÇAMENTO
Depois de tanta dificuldade no estúdio, e depois de amargar uma decepção grande com os diretores, esperava-se que o filme fosse um sucesso. As crianças da América correriam até os cinemas ver a adaptação de seu jogo favorito, pois na época Super Mario estava acabando de alcançar um lugar na fama e no imaginário infantil, tão popular quanto Mickey e Pateta.
Mas coisas não saíram como o esperado. As críticas foram muito ruins. Algumas críticas diziam aos pais não levarem suas crianças para ver o filme, que poderiam sair de lá traumatizadas. Apesar de um lançamento bom financeiramente falando, o filme amargou um fracasso de bilheteria após isso. O público simplesmente não se identificou com a proposta do filme. O que era de se esperar tendo em vista a tamanha distorção de cenários.
O obscura produção do filme do Super Mario Bros (1993)
Isso é Mushroom Kingdom…? oh God…
O LEGADO DO FILME
Depois de quase 20 anos após seu lançamento, Super Mario Bros – O filme continua sendo referência de péssimo trabalho em Hollywood. Até hoje o filme integra a lista de PIORES FILMES já feitos. Com um prejuízo de quase 30 milhões de dólares, o casal de diretores Morton e Jenken não trabalharam mais juntos em Hollywood, um indo trabalhar com comerciais e outro com video-clipes.
Bob Hoskins em uma entrevista em 2007 para o jornal “The Guardian” contou que trabalhar no filme foi “[...]A pior coisa que já fiz na minha vida.” e que “[...] Toda a experiência foi um verdadeiro pesadelo.” Jhon Leguizamo em sua biografia, também assumiu que  a experiência toda tinha sido horrível, e que ele e Bob Hoskins viviam frequentemente bêbados no set, sabendo que o filme acabaria sendo um fiasco.
Dennis Hopper disse uma vez numa entrevista numa revista que sua “[...]Aquele filme, honestamente, foi um pesadelo. Eram marido-e-mulher dirigindo uma equipe, e ambos eram obcecados por controle e não consultavam ninguém antes de tomar decisões. De qualquer forma, eu deveria ficar no set por 5 semanas, e acabei ficando por 17. Foi uma coisa muito acima do orçamento.”
O obscura produção do filme do Super Mario Bros (1993)
“Isso não é nenhum jogo! ” Dizia o cartaz nos cinemas. Seria melhor se tivesse sido?
O criador do jogo, Shigeru Miyamoto uma vez disse “[...] No fim, foi um projeto divertido em que o pessoal se dedicou muito” e disse também “[...] a unica coisa que ainda me arrependo um pouco, é que o filme pode ter tentado chegar muito perto do que Mario era no video-game. E nesse sentido, se tornou um filme sobre um video-game, ao invés de ser um filme divertido por sí só.”
Super Mario se tornou um ícone de tudo que se pode fazer de errado em adaptar Jogos para as telinhas, e esse Karma e preconceito é carregado até os dias de hoje quando se fala em adaptar um jogo de sucesso.
Se você não viu ainda, e deseja ver essa “obra prima” do mau-gosto… Olha só a versão DUBLADA que achei no Youtube! Eu acho o filme uma péssima adaptação mas tem seus pontos divertidos!







Nenhum comentário:

Postar um comentário